Posts

Ainda não me entendi com os shampoos a seco…

dryshampoo

Imagem: Reprodução

 

Ultimamente, vejo muita gente falar que usa shampoo a seco e gosta.Tenho que confessar: ainda não entendi qual é “o barato” desse produto.

Até hoje, testei três: Ojon, Oscar Blandi e Cless/Charming e ainda não consegui o resultado que muita gente descreve.

 

Primeiro “contra”: Meu couro cabeludo coça horrores depois da aplicação. Mesmo dando o tempo de pausa e eliminando bem o produto da raiz.

Dos que testei, o que menos deu coceira foi o Cless/Charming.

Segundo ponto contra: o cheiro forte. Por que (quase) todos os shampoos a seco precisam ter cheiro mais forte que perfume francês? A associação pó da fórmula + perfume forte quase dá para matar alguém por sufocamento.

Quem tem alergias respiratórias, cuidado antes de usar esse tipo de produto!

O Ojon é o pior de todos nesse quesito.

Terceiro ponto contra: nunca consegui usar meus cabelos soltos depois de aplicar esse tipo de produto. Nem depois do Oscar blandi, que quase não deixa resíduo.

Simplesmente porque eles “deram um jeito” mas não resolveram totalmente a questão da oleosidade da minha raiz. Sei lá, além de durinhos (mesmo massageando e escovando muito os cabelos após a aplicação), eles continuam com aparência de sujinhos – pior, sujinhos e opacos.

Só vi alguma função quando precisei usar para segurar uma lavagem de cabelos e prendi em um rabo.

 

Dos três que testei, o melhor que achei foi o da Cless, que recebi na Glambox de março. Deixou pouco resíduo, o cheiro não é tão sufocante e foi o que deu menos coceira. Mas, como disse, só deu para prolongar a lavagem usando os cabelos presos em um rabo.

Ainda não testei o famoso Batiste Klorane.

[Mas, pouco tempo depois da publicação desse post, acabei testando o tão elogiado Batiste. Clique aqui para ler a resenha]

 

Alguém também não entende o sucesso que os shampoos a seco fazem?

Dicas, sugestões para usar melhor esse tipo de produto, com mais sucesso?

4 Comentários

  1. basemaniaca

    22 de junho de 2014 em 18:33

    Já usei muitos, e o que eu mais gosto é o Batiste, que resolve bem o aspecto de oleoso do cabelo, mas o deixa bem opaco!
    Achei que o spray na versão castanha seria o ideal, porque aí não deixaria esbranquiçado, mas sei lá, ele coça bastante no couro cabeludo e quando você vê, a sua mão e roupas estão cheias de resíduos marrons, muito terrível!!!

  2. Juliana

    21 de junho de 2014 em 09:19

    O Batiste é ótimo! Dizem que o da Lush também é muito bom. Quando uso, escovo bem o cabelo para o shampoo espalhar bem. Mas não espere um cabelo novinho em folha. A idéia é disfarçar, apenas…

  3. LilianeN

    16 de junho de 2014 em 15:29

    Mas eu acho que a função deles é essa mesmo, Clau: “dar um jeito” no cabelo. O meu no final do dia já tá pregado na cabeça. No dia seguinte, não presta nem pra fazer rabo de cavalo. Por isso adoro, principalmente o Psssst, que tem menos cheiro e deixa menos resíduos. Mas não é milagre. Só serve pro cabelo parecer menos sujo, mas ele continua parecendo que está sujo 🙂

    1. Clau

      19 de junho de 2014 em 20:36

      Pois é, Liliane. Vejo as resenhas das gringas dizendo que o cabelo fica “refreshed” e sempre me dá a impressão de que elas usam de um jeito diferente para conseguir esse resultado. Mas é aquilo: defina “refreshed” para você…rs

Deixe sua opinião ou comentário