Posts

Base Matchmaster, MAC (Atualizada com amostra de dois tons: 3.0 e 4.0)

 Imagem: Divulgação MAC Cosmetics

 

[Matéria inicialmente publicada em 07/12/2011 e atualizada em 29/12/2011]

 

Sei que várias leitoras estavam querendo saber minha opinião sobre a base nova da MAC, me perguntavam porque ainda não havia encomendado, pedindo a resenha…

O que aconteceu foi que, na verdade, estava esperando a base chegar aqui no Brasil para poder experimentá-la. Vi e li muitas resenhas a respeito dela e exatamente por causa delas achei que seria melhor experimentá-la antes de comprar, porque é uma base bem diferente das outras da marca.

Até que a Eviane – do site As Vaidosas, com quem normalmente faço minhas encomendas – gentilmente me cedeu uma amostra (generosa) da que havia trazido para ela para testar e fazer resenha aqui para o blog.

Passei as últimas duas semanas testando, de todas as formas e aplicações possíveis, para que pudesse fazer uma resenha bem completa para vocês.

Descrição do produto:

Base com uma nova tecnologia (Shade Inteligence), que usa pigmentos translúcidos, para proporcionar um acabamento que se adapte a cada pessoa, de acordo com as particularidades do subtom da sua própria pele. 

Efeito semi-matte e hidratante.

Cobertura média, que pode ser construída com o uso de várias camadas

Possui partículas que disfarçam e disfarçam linhas de expressão.

FPS 15

Embalagem com 35 ml.

Preço sugerido: U$ 32.50 

Disponível em 14 tons (que vão do 1.0 ao 10.0)

À venda somente no exterior. Ainda não está à venda no Brasil (previsão de chegada: janeiro ou fevereiro/2012)

 

Amostras de todos os tons:

Imagem: Karla Sugar

 

Tabela de Correspondência dos tons (bases comuns MAC > Matchmaster):

Imagem: Footluxe.com

(Clique no nome do site para ampliar a imagem)

 

Amostras (Swatches) pessoais:

 

Matchmaster 3.0:

Incialmente ganhei a amostra desta base no tom 4.0, que ficou levemente mais escuro para o meu tom de pele, especialmente à luz do dia.

Como esta base ainda não está à venda no Brasil e baseando-me na cartela que mostrei acima, acabei encomendando uma no tom 3.0.

 

 

Na pele:

  

Espalhada no dorso da mão

Notem que não há diferença nenhuma de tom para a parte do pulso (mais à esquerda da foto)

Matchmaster 4.0:

O tom 4.0 não é o ideal para mim. Melhor seria o 3.0 (sou NC 30-35 na MAC)

 

Vale lembrar que este é um vidro “genérico”, não a embalagem original

Na pele:

  

Na foto da direita já dá para ver como ela é toda “diferente”: o tom dela antes de secar é bem diferente do que tem depois de seca.

Nessa foto também dá para perceber o quanto ela seca rápido.

 

Matchmaster 3.0 vs 4.0:

Assim no dedo parece até que a 3.0 é mais escura…

Na pele:

Swatch no braço

Ainda sem muita diferença, mas a impressão é que a 3.0 parece levemente rosada, enquanto na 4.0 o pigmento amarelo é mais visível

Notem que na parte superior da 3.0, onde ela já secou, o tom se funde com o tom natural da minha pele.

Swatch no rosto

Depois de espalhada no rosto

Como veem, o lado com a 4.0 ficou levemente mais amarelado

 

Fiz vários testes de aplicação, para contar a vocês como é a cobertura e durabilidade dela na pele.

[No fim do post farei uma avaliação geral dela]:

– Teste 1: Com dupla de primers Benefit (Porefessional + That Gal) preparando a pele e aplicação com a esponja Beauty Blender molhada:
Resultado: Acabamento natural, diferença de cor menor (quer dizer, a 4.0 não pareceu tão mais escura que meu tom de pele).

Durabilidade boa – só precisou de um leve retoque na zona T
Graças aos primers, deu um acabamento bonito à pele (para quem quiser conferir, é só assistir os vídeos de Comprinhas e Mais Usados de novembro)

– Teste 2: Base “pura”, aplicada com os dedos e  flat top, sem primer:
Resultado: Maior cobertura, porém com o passar das horas parece q foi “derretendo” e o rosto ficou logo brilhando.

E a aparência “brilhante” não foi ‘só na zona T, foi no rosto todo.

– Teste 3: Aplicação usando pincel Flat Top (Sigma) e BB Cream Missha Perfect Cover como primer:

Resultado: Maior cobertura, um pouco mais de durabilidade, mas o brilho apareceu ao longo do dia – e no rosto todo, novamente.
Teste 4: Beauty Blender seca e Primer Inglot (à base de silicone):
Resultado: Um pouco mais de cobertura, ainda sim natural e aumentou bem mais a durabilidade e controlou um pouco mais o brilho, que apareceu mais na zona T.
– Teste 5: Aplicação usando pincel 187 (Duo Fiber) e Porefessional (Benefit) como primer:
Resultado: Cobertura bem leve e maior durabilidade, graças ao Porefessional – que é matificante e diminui os poros.
– Teste 6: Aplicando com pincel 130 (duo fiber pequeno, flat top. MAC) e  dupla de primers Benefit (Porefessional + That Gal) preparando a pele:
Resultado: Não gostei da aplicação. Como a base seca rápido e por causa da cabeça pequena do 130, a base fica falhada em alguns pontos ou com concentração maior de pigmento em outros.
– Teste 7: Com primer That Gal (Benefit) preparando a pele e aplicação com a esponja Beauty Blender seca:
Resultado: Diferença de tom menor, graças ao That Gal – que dá um tom naturalmente iluminado e levemente mais claro à pele.
O brilho apareceu mais na zona T – não chegou ser um “super brilho”, mas acredito que uma consequência do efeito do That Gal.
Nada que uma camada de pó não resolva.
Avaliação geral:
É uma base para todos os tipos de pele.
Quem tem peles oleosas, pode não gostar, já que o efeito sequinho que aparece na hora que aplica não permanece por muito tempo.
Mas isso pode ser um pouco contornado se aplicar um produto matificante antes da aplicação ou um pó finalizador para complementar.
É diferente das outras bases que já usei – mesmo  a da Shiseido que tem um acabamento igualmente leve, mas não tão natural quanto a da Matchmaster, que parece que é a sua pele, só que naturalmente corrigida.
A cobertura se constrói de acordo com a maneira de aplicação:
Efeito mais natural – esponja ou duo fiber.
Maior cobertura – aplicação com as mãos, pincel flat top ou sobrepondo mais camadas de base.
Na minha opinião, um primer é indispensável para se usar com essa base, especialmente para quem tem pele mista-oleosa e/ou mora em locais úmidos e quentes.
A cor é um fator que você deve ficar atenta ao escolher, mas dependendo de como/o que você usa sob ela e por causa da tecnologia que faz parte da sua fórmula, um tom levemente mais escuro pode não ser tão desastroso como aconteceria com outras bases.
É necessário retoque ao longo do dia (em peles mistas e oleosas).
Transfere pouco – não passa para as roupas, mas marca a tela do celular (nada excessivo)
É uma base excelente para o dia a dia e para quem não gosta de parecer muito maquiada.
O ideal seria experimentá-la antes de comprar.
Para referência, sou NC 30-35 na MAC (dependendo da base. Na Pro Longwear sou NW 30), um tom que fica entre a morena clara e média nas outras marcas.
Para mim, o 3.0 ficou certinho.
Fiz uma resenha em vídeo para o canal do You Tube (elas perguntaram bastante quando iria testar a Matchmaster). As considerações são as mesmas que fiz aqui, mas como sei que tem gente que adora ver vídeos, o link: aqui.

 

Para complementar, tem um vídeo feito por duas maquiadoras senior (Fatima e Chantal) da MAC, disponível no site da marca
[Não deu para agregá-lo ao post]
Link para o video aqui.
Considerações feitas pelas maquiadoras (já que tem gente que pode não entender inglês tão bem):
– Falam da fórmula, da naturalidade do efeito e dos tons que, como não seguem NC/NW adaptam-se melhor ao seu tom de pele natural.
– Pode-se usar um tom mais claro ou levemente mais escuro que a diferença não será gritante.
– Chantel (a maquiadora loura) conta que ao longo do ano a pele tem diferentes necessidades e é bom saber que ela pode ter um único produto que adapte a essas mudanças, dependendo do que você use para preparar sua pele, antes da base.
– No vídeo, elas usaram o Care Blends Essential Oil e o Studio Moisture e Fix + antes e depois do creme/óleo
– Fatima (a maquiadora negra) usou o 187 e Chantel a esponja da MAC – que parece a Beauty Blender
– Por causa da luminosidade da base, Fatima aplicou o corretivo (Studio Finish) primeiro, usando o pincel 168 (base) para que a base depois criasse uma camada com aparência mais natural.
– Chantel usou a esponja da MAC molhada com fix plus para dar uma aparência de “segunda pele”, uma textura melhor já que considera que sua pele não é tão lisa
– Fatima optou por uma cobertura, mais fina com aparência de pele “polida” e Chantel aplicou construindo camadas (aplicou uma sobre a outra, de base 2.0 e 7.0) em determinados pontos para dar um ar “mais bronzeado”.
– Fatima  aplicou a 4.0 em alguns pontos para dar luminosidade – se faz muito isso na MAC, seja com outro tom de base, corretivo ou caneta iluminadora.
– Finalizaram com Prep + Prime Transparent nos pontos que a pele tende a ter mais brilho.
E ainda há um link com os produtos usados/mostrados por elas no vídeo. Aqui.
Sei que o post ficou enorme, mas como muita gente está curiosa com essa base, – já que ainda não está à venda no Brasil – fiz questão de dar o máximo de informações possíveis, até para ajudar quem quer pedir através de encomenda.

 

Repetindo, a previsão de chegada da Matchmaster no Brasil é para fevereiro/ 2012.
[Tomara que as previsões estejam erradas e chegue antes]

 

Espero que tenham gostado do “dossiê Matchmaster”

12 Comentários

  1. Andrea

    12 de janeiro de 2012 em 04:00

    Oi Clau!Adorei o post,só no seu blog que tenho paciência para ler esses posts enormes,,rsrsrs

    Mas eu queria saber se ela é uma base que transfere muito,porque a select eu aposentei porque ela transfere demais…Bjs

  2. Mônica

    30 de dezembro de 2011 em 06:37

    Adorei a resenha…mas nessa tabela da Footluxe.com, não tem meu tom…rs…sou C4…fica difícil arriscar…se algma leitora for o mesmo tom que o meu, e souber qual o tom correspondente, por favor, me conte!!!

    1. Clau

      30 de dezembro de 2011 em 06:55

      Monica, você não nenhum outro tom de base da MAC pra referência, tipo NW ou NC?
      E nas outras marcas, que tom costuma usar (o mais claro, médio-claro…)?

  3. Marisa

    29 de dezembro de 2011 em 14:29

    Oi Clau!

    Adorei a resenha super detalhada!!

    Eu não usei muito a minha, que é a 1.5, mas posso dizer que nessas poucas vezes adorei! Só usei com um pincel tipo round top, só que bem mais macio (da OCC), e ficou muito boa!!

    Só comprei depois da sua primeira resenha!!

    Beijos

  4. Quésede

    10 de dezembro de 2011 em 19:57

    É amiga… a resenha tá ótima. Mas por tudo que já li até aqui, ela não me encantou muito não. Será que um dia vou encontrar uma base 4 em 1: filtro solar, primer matificante, cobertura média e pó, tudo num só produto? rsrsrsrs…

    1. Clau

      11 de dezembro de 2011 em 07:07

      Já ouvi falar q a Face Fabric da Armani é assim como você procura. E tem FPS 12.
      O problema é q ela é cara, mesmo lá fora (cerca de U$ 50) e só encomendando pra poder comprar uma

  5. Ju Laur

    10 de dezembro de 2011 em 00:47

    Amo essa base!!! Uma das melhores bases que ja usei!!!

    Beijos

  6. Luciana

    9 de dezembro de 2011 em 15:35

    Eu vou ter que esperar pra testar Clau, pq pela tabela eu como sou NW40 seria a nº 7 mas tá mt escura e a nº 4 to achando um pouco clara. Complicado heim?!! hehehe

    bjs

    1. Clau

      9 de dezembro de 2011 em 15:40

      Lu,
      Acho que a 4.0 serve para você. Se quiser vê-la de perto, me avise 😉

  7. Danielle

    7 de dezembro de 2011 em 06:08

    Eu pedi pra minha cunhada trazer quando viesse dos States, toda ansiosa achando que essa seria a base da minha vida… mas sei lá, usei umas 3x e não consegui curtir! Achei a aplicação dela chata, a consistência e parece que fico muito amarelada! Sou NC 40, e comprei a 5.0, quem sabe eu arrisque a 4, não sei… enfim, não digo que foi dinheiro jogado fora, mas acho que foi empolgação demais!

  8. Pri T Cruz

    7 de dezembro de 2011 em 05:30

    Oi Clau, parabéns pela resenha, como sempre super bem feita e cheia de detalhes !!!!

    Beijos.

Deixe sua opinião ou comentário